rez@rafaelrez.com

Endomarketing: a efetividade da comunicação interna

endomarketing

O sucesso da comunicação interna em uma empresa se resume na capacidade de fazer com que a corporação seja valorizada dentro da instituição. Fazer com que o funcionário sinta-se como parte essencial do negócio é o desafio do endomarketing. A expressão refere-se a um novo tipo de marketing de importância fundamental no mundo empresarial. O termo tem como definição o conjunto de estratégias, no ramo dos negócios, que regem o interior de uma instituição e visam estimular a satisfação da equipe de trabalho.

A concorrência, cada vez mais evidente devido à grande quantidade de empresas que surgiram e se desenvolveram nos últimos anos, fez com que alguns mecanismos se tornassem fundamentais no planejamento de um negócio. O endomarketing foi reconhecido na medida em que pensar no bem estar dos funcionários tornou-se uma regra para o sucesso da companhia. Até os anos 90, apenas o marketing era valorizado e a satisfações dos funcionários não constava entre as prioridades da maioria das empresas.

A necessidade dos novos tempos fez que surgissem outros padrões de estratégias e, na década de 1990, a expressão endomarketing foi criada por Saul Bekin, através da obra de sucesso “Conversando com o Endomarketing”. O livro se transformou em uma verdadeira bíblia para quem quer gerenciar com sucesso uma empresa e fazer com que os funcionários trabalhem felizes e motivados.

Endomarketing pode ser considerado também como uma fusão de marketing com recursos humanos, pois lida diretamente com o relacionamento da empresa e os funcionários. A regra principal do endomarketing é buscar ações que priorizem as vontades da corporação dentro do ambiente de trabalho, proporcionando condições ideais para o bom desempenho. Para isso, o mais importante é que haja um planejamento eficiente com a participação dos gestores. A forma como os colaboradores enxergam a instituição é tratada como um reflexo da imagem da empresa para o público externo.

Marketing x Endomarketing

Enquanto o marketing abrange o público alvo, as necessidades dos clientes, as formas de obter feedback e as estratégias de vendas de produtos ou serviços, o endomarketing se mantém em uma área muito mais limitada. Porém, isso não significa que é mais fácil aplicar estratégias de endomarketing, pois lidar com o público interno e suas especificidades pode ser tão difícil quanto conquistar a credibilidade do público externo.

A boa notícia é que algumas estratégias de marketing também podem ser adaptadas para a comunicação interna, pois o que o marketing e o endomarketing têm em comum é a mesma necessidade de lidar com pessoas, emoções e desejos. Porém, é preciso ter em mente que os públicos são diferentes, bem como suas exigências e formas de satisfações. Os planejamentos de marketing não podem ser utilizados da mesma forma no público interno, mas podem sofrem alterações para que se encaixem na realidade dos funcionários.

A principal preocupação do endomarketing é encontrar as formais ideais de lidar com o público interno. A rotina de trabalho em uma grande corporação envolve diversos fatores que influenciam positivamente ou negativamente na satisfação dos funcionários. É preciso levar em conta que, dentro de uma empresa, os trabalhadores estão sujeitos a influências que não dependem apenas da gestão. Os conflitos de relacionamentos interpessoais, a pressão de prazos e demandas, o estresse e as responsabilidades são exemplos de situações emocionais que devem ser pensadas antes de planejar as ações.

São diversos os mecanismos que criam obstáculos para a eficiência da comunicação interna, o que transforma em um desafio aplicar eficazmente técnicas de endomarketing. As estratégias que visam a manutenção da imagem interna precisam considerar as necessidades, vontades, motivações e estímulos dos trabalhadores, bem como os efeitos de cada sentimento. Se apenas um item for pensado isoladamente, será mais difícil alcançar o sucesso e obter a satisfação plena dos funcionários.

As estratégias do endomarketing

A primeira meta a ser considerada na hora de pensar em estratégias de endomarketing é a maneira mais adequada de manter a motivação na rotina de trabalho. É preciso estudar o quanto os funcionários estão felizes atualmente e pensar em maneiras de aumentar o desempenho no trabalho através da motivação. Para isso, é importante colocar como prioridade as necessidades dos empregados e as condições atuais de trabalho.

Para que um colaborador esteja feliz e motivado, é preciso primeiramente que sejam atendidas as necessidades mais básicas do trabalhador. Se for possível exercer a profissão em um ambiente harmônico e adequado, com respeito aos horários da equipe e com benefícios que atendam as necessidades básicas, torna-se mais fácil adquirir a motivação.

Em um segundo momento, é preciso identificar meios de promover desafios e recompensas de produção. A motivação é uma característica humana que aparece naturalmente quando há desafios e possíveis vantagens ao superá-los. Algumas ações internas como a criação de um ranking de funcionários destaques, a possibilidade de obter bônus por produção e a participação em concursos internos podem ajudar a renovar as forças dentro do ambiente de trabalho.

Além da motivação, projetos, eventos, treinamentos e outros recursos devem ser planejados a fim de promover a valorização do funcionário e a melhoria da capacitação. É importante que a instituição mostre aos assalariados que há preocupação dos gestores em buscar o aperfeiçoamento profissional da equipe. A forma como a administração valoriza os funcionários pode ser medida através de investimentos dedicados ao público interno.

As vantagens e os perigos

Se os funcionários estiverem satisfeitos com o trabalho dedicado ao negócio, a tendência é que a empresa alcance sucesso pleno em imagem e em vendas. Um profissional que se orgulha do local em que trabalha provavelmente apresentará um alto rendimento na produção ou um atendimento eficiente ao público, dependendo dos objetivos da empresa.

O que deve ser motivo de preocupação no meio empresarial, principalmente entre grandes instituições, é o efeito negativo da falta de estratégias de endomarketing. As falhas da comunicação interna podem causar grandes prejuízos aos gestores do negócio e até levar a empresa a crise e a falência.

Se o colaborador não se sentir valorizado dentro da instituição, esta insatisfação provavelmente será revelada para outras pessoas. Se uma empresa apresentar más condições de trabalho, o assalariado fará com que amigos, familiares e conhecidos saibam do péssimo tratamento. Os riscos de processos judiciais e envolvimento com a mídia também precisam ser previstos se a corporação estiver mostrando sinais de infelicidade no trabalho. O resultado disso é um efeito negativo que pode ampliar consideravelmente os danos à imagem da marca, principalmente se tratar-se de uma empresa grande.

Rafael Rez

Autor do livro "Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI", publicado pela DVS Editora. Possui MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2013. Fundador da consultoria de marketing digital Web Estratégica, já atendeu mais de 1.000 clientes em 20 anos de carreira. Co-fundador da startup GoMarketing.cloud. Fundou seu primeiro negócio em 2002, de onde saiu no final de 2010. Foi sócio de outros negócios desde então, mantendo sempre como atividade principal a direção geral da Web Estratégica. Além de Empreendedor e Consultor, é Professor em diversas instituições: HSM Educação, ILADEC, Cambury, ESAMC,ALFA, ESPM, INSPER. Em 2016 fundou a Nova Escola de Marketing.

Sua vez de falar

Seu e-mail não será publicado